sexta-feira, setembro 29, 2006

Requerimento e carro para casamento

Recebi na minha caixa de correio o texto abaixo transcrito, supostamente dirigido a Avelino Ferreira Torres, ex-Presidente da Câmara do Marco de Canaveses. Imperdível...


"Exmo Senhor Presidente da Câmara Municipal de Marco de Canaveses

Joaquim Manuel Coutinho Ribeiro, eleitor nº 6 da freguesia de Soalhães, vem expor e requerer a V. Excia o seguinte:

1. Na reunião da Assembleia Municipal do passado dia 29, ouvi V. afirmar que, a partir desta semana, iria passar a dispor de um Audi a6.

2. E percebi, das suas palavras, que não se tratava de um acto de vaidade pessoal, mas uma forma de melhorar a imagem do município, pois que a viatura estaria ao serviço do município e não do seu presidente.

3. Reflectindo sobre o assunto, lembrei-me de que o Audi do município poderá resolver-me um problema logístico que tenho em mãos.

4. No próximo dia 13, é o casamento da minha prima Ester (jovem médica) com o David (jovem médico).

5. Pediu-me a minha prima que a transportasse à Igreja, ao que eu anuí.

6. Lembrei-me, depois, que o meu carro só tem duas portas o que, convenhámos, não é muito operacional para o efeito, sobretudo para entradas e saídas, já que o vestido poderá ficar agarrado e eventualmente rasgar-se.

7. Foi desta forma que me lembrei que, sendo eu munícipe do Marco, e estando o Audi ao serviço do município, seria um acto da maior justiça que eu pudesse transportar a minha prima ao casamento no A6.

8. Ainda pensei que talvez pudesse requerer a utilização do jeep Toyota, mas temo que os convidados possam gozar a noiva por se deslocar em em tal veículo.

9. Opto, pois, pelo Audi, com a promessa de que o entregarei lavado e com o combustível reposto.

10. Dispenso o motorista.

Face ao exposto, requeiro a V. Excia se digne emprestar o A6 para utilização deste modesto munícipe no próximo dia 13, durante todo o dia.

Pede deferimento
Joaquim Manuel Coutinho Ribeiro"

Ser contra os blogs é...

Agradeço o comentário de um anónimo no post anterior, pelo que resolvi pesquisar e deixar aqui o link directo para o texto da Carla Quevedo, proprietária do Bomba Inteligente, sobre aqueles que são contra os blogues.
"Ser contra os blogues é como ser contra os jornais, contra as revistas, contra a televisão, contra os homens, contra as mulheres, contra as crianças, contra os animais, contra as plantas, contra os peixinhos no aquário, contra a selva, contra as raparigas que pintam o cabelo, contra as raparigas que não pintam o cabelo, contra os burros, contra os inteligentes, contra os livros, contra a ópera, contra a música pop, contra o sol, contra a lua, contra os planetas, contra o universo. Ser contra os blogues é como ser contra a liberdade. Ser contra os blogues é como ser contra a liberdade de expressão."

quinta-feira, setembro 28, 2006

Ainda os vinhos do Ribatejo...

Acabei de receber o folheto publicitário de uma feira de vinho que normalmente os hipermercados organizam.
Para percebermos o que os vinhos do Ribatejo representam no panorama nacional basta ver este folheto. Em 22 páginas dedicadas ao "néctar dos Deuses", os vinhos da nossa região dividem uma página com os produzidos nas Beiras. Portanto, meia página. Por seu lado, o Alentejo está representado em 6 páginas.
Como foi afirmado na Opinião Pública dedicada a esta temática, desde 1895 que se anda a estudar e a debater o problema dos vinhos. E, em 111 anos, ainda não se encontrou uma solução. Parece mesmo uma obra de Santa Engrácia!!!

quarta-feira, setembro 27, 2006

Um desafio

Na passada sexta-feira, numa conversa informal com o "dono" de um blogue cá da nossa terra, surgiu a ideia de se realizar um jantar de confraternização da comunidade bloguística almeirinense.
Pessoalmente, penso ser uma ideia interessante. Aguardo comentários e sugestões.

segunda-feira, setembro 25, 2006

Nunca é demais recordar

Setembro é, por excelência, mês de aniversários... de inaugurações.
Em 2001, tivemos a inauguração do Centro Coordenador de Transportes pelo então Ministro das Obras Públicas, Ferro Rodrigues. Dá sempre jeito ter um governante nestas inaugurações. E, ainda por cima, em véspera de eleições autárquicas que se realizavam daí a dois meses e meio.
O que veio depois desta inauguração é por demais conhecido. A Rodoviária do Tejo não se mudou para lá e, a Câmara de Almeirim, para tentar remediar a situação, lá instalou um Núcleo Museológico, um Centro de Formação e, a partir do próximo mês, a nova universidade sénior de Almeirim também irá ter o seu lugar naquele espaço. Pena é que, autocarros a circularem, só mesmo um do TUA (porque o segundo foi comprado há um ano e continua parado).
No ano passado, foi a vez de se inaugurar o Cine-Teatro de Almeirim. Perdão, foi a vez da reabertura do Cine-Teatro de Almeirim. A escassas três semanas das eleições.
Apesar de ser um espaço agradável, parece que a reabertura foi irregular, já que ainda não tinha sido emitida licença de utilização. Uma inspecção àquele espaço detectou falhas na segurança contra os incêndios. Falha essa que, um ano depois, ainda continua por colmatar.
Em matéria de programação cultural, o Cine-Teatro de Almeirim tem trazido alguma, se bem que a divulgação tenha pecado por ser manifestamente insuficiente. Pode ser que agora a ALDESC, como empresa municipal a quem cabe gerir os espaços culturais e desportivos do concelho, promova a Cultura em Almeirim.
Daqui a um ano cá estaremos...
Editado

Almeirim e os vinhos


Realizou-se na passada sexta-feira, 22 de Setembro, a primeira Opinião Pública, parceria do jornal "O Almeirinense" e da rádio "RCA Ribatejo". Subordinada à temática da vinha e dos vinhos, contou com uma plateia atenta e interessada em debater os problemas do vinho no contexto concelhio e regional, os problemas dos vitivinicultores, entre outros.
Falou-se de muita coisa: do que está mal, do que está bem, do que deve ser feito para melhorar os vinhos do Ribatejo e, principalmente, de Almeirim. E falou-se, inclusivé, na "hipótese meramente académica" da realização de um Festival Nacional do Vinho.
E sobre esta temática, embora não seja um entendido em vinhos, sei diferenciar um vinho de qualidade daquilo que, nós por cá, chamamos de "zurrapa". E, por isso, tenho algo a dizer.
Ainda sou do tempo em que se chamava "carrascão" ao vinho produzido no concelho do Cartaxo, sendo que os nossos vinhos eram (e são) de qualidade superior em relação àqueles. Por isso, nunca entendi muito bem por que razão o concelho do Cartaxo tem o Festival Nacional do Vinho e é apelidado de "Capital do Vinho".
Por muito ênfase que as nossas autoridades queiram dar, agora, a um sector tão importante para a vida do nosso concelho, nunca se devem esquecer daquilo que não foi feito na devida altura - criar a imagem de um concelho ligado à cultura da vinha e do vinho, conceituado a nível nacional e internacional, imagem essa associada à nossa Sopa da Pedra. Mas, infelizmente, até aí, nos estamos atrasar...

Falta de civismo (continuação)...


No passado dia 7 de Fevereiro coloquei aqui um post sobre a falta de civismo.
Passados sete meses, a cena continua a repetir-se todos os fins-de-semana. E não me alongo mais, porque uma imagem vale mais do que mil palavras.

sábado, setembro 23, 2006

Os hóspedes continuam a chegar...

A ocupação deste "hotel" que é a blogosfera almeirinense não pára de aumentar.
Por informação constante no Sandes-de-Coirato existem, pelo menos, mais dois "hóspedes" almeirinenses: o "Grupo de Dadores Benévolos de Sangue de Almeirim" e o "Quadro Branco". As ligações estão na coluna ao lado.
O Pensar Almeirim deseja que a estadia nesta "unidade hoteleira" seja do vosso inteiro agrado.

quinta-feira, setembro 21, 2006

O cumprimento das leis

A propósito da notícia de capa da última edição de O Almeirinense - GNR dispersa jovens a tiro - venho comentar uma situação que, apesar de existir legislação vai para três anos, muito pouco tem sido feito: a detenção e circulação na via pública de cães perigosos ou potencialmente perigosos.
O Decreto-Lei n.º 312/2003, de 17 de Dezembro, estabelece as normas aplicáveis à detenção de animais perigosos e potencialmente perigosos, enquanto animais de companhia. Assim, o artigo 3.º define o que é exigido ao proprietários deste animais para os licenciar:
  • um termo de responsabilidade, onde descreverá o tipo de condições de alojamento do animal, as medidas de segurança implementadas e o historial de agressividade do mesmo;
  • um registo criminal do proprietário, que não pode ter sido condenado por crimes contra a vida ou a integridade física.

Mais à frente, no artigo 8.º, são definidas as medidas de segurança especiais na circulação:

  • os animais não podem circular sozinhos na via público, devendo ser acompanhados por pessoas maiores de 16 anos;
  • entre outras medidas, os animais devem circular também com trela curta e açaimo funcional, que não permita morder nem comer.

Ora, é aqui que tem havido, na minha opinião, um desleixo por parte das autoridades competentes para fiscalizarem e actuarem quando a legislação não é cumprida (câmaras municipais através do médico veterinário municipal e autoridades policiais). Basta dar um passeio por Almeirim e ver a quantidade de cães considerados perigosos ou potencialmente perigosos que circulam na via pública sem as necessárias e exigidas medidas de segurança.

Por isso, é de lamentar as declarações do vereador da Protecção Civil e que constam da mesma notícia:

"existe uma acção concertada entre a autarquia e a GNR e estamos a estudar a lei em vigor para que se actue em conformidade."

Meus senhores, a lei já tem praticamente 3 anos. Ainda estão a estudá-la? Terá um articulado assim tão complicado e de difícil compreensão? Não bastará agir em conformidade com estipulado? A Portaria n.º 422/2004, de 24 de Abril, descreve quais as raças consideradas perigosas ou potencialmente perigosas, pelo que não será muito difícil actuar.

quarta-feira, setembro 20, 2006

Emails do outro mundo

O "hotel de inúteis" continua a dar que falar. E escrever.
Desta vez é o semanário O Mirante que, em duas semanas consecutivas, dedica algumas linhas a tão inspirada expressão.
Na edição semanal de 13-09-2006 a rúbrica "Emails do outro mundo", no seu estilo irónico, pode-se ler:
"Sabe sempre bem dar de caras com uma boa notícia logo pela manhã. Lemos e o dia corre-nos logo melhor. Sentimos uma enorme euforia. Um êxtase quase divino. Confesso, estou radiante. O presidente da Câmara de Almeirim, Joaquim Sousa Gomes não vai fazer um blog. Nem um nem dois, nem três. Não vai fazer nenhum. A boa nova foi anunciada numa entrevista ao jornal O Almeirinense.
O camarada da barba branca, como deve ser conhecido no seu PS, declarou: “ (…) o blog adapta-se perfeitamente ao meu conceito de hotel de inúteis. Acho que as pessoas que não têm mais nada que fazer, dedicam-se a fazer blogs”. Até que enfim que aparece alguém a desmistificar a blogomania, essa praga do século XXI. Li, reli, tresli e sorri. Respirei fundo e fiz-me ao dia com outra disposição. Pelo menos dali não vem perigo ao mundo.
A minha avó costumava dizer que quem não tem mais nada que fazer abre o cu e apanha-moscas. Os tempos mudaram e ela só não diz que quem não tem mais nada que fazer vai à Internet e faz um blog porque não faz a mínima ideia do que seja um blog. Não diz ela mas diz o senhor Gomes. E se ele conhecesse a minha avó e a sua filosofia poderia ter usado uma sentença mais atractiva. Um toque de criatividade não faz mal a ninguém. Por exemplo: “Quem não tem mais nada que fazer abre o cu e faz um blog”
".
Na edição desta semana, o mesmo espaço dedica mais algumas linhas ao tema:
É caso para dizer que tal expressão caiu no goto de muita gente.

segunda-feira, setembro 18, 2006

De volta

Como o prometido é devido, aqui estou eu de volta para mais uns largos meses de trabalho. O que é bom acaba depressa, mas apesar disso, mantenho ainda a mesma boa disposição com que terminei as férias.
Por isso, decidi partilhar este vídeo que a minha amiga Marta enviou.
Dos melhores vídeos feitos! Trabalho de soberba paciência e genialidade!

segunda-feira, setembro 04, 2006

Aí estão elas...

... as férias.
O PENSAR ALMEIRIM e o seu autor vão de férias. Merecidas, como as de todos.
Como não tenho problemas em fazê-lo, fica aqui a promessa de voltar a 18 de Setembro.
Até lá, bom trabalho ou boas férias conforme o caso.